quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

O Sentido do Natal!


                             VATICANO, quarta-feira, 17 de dezembro de 2008, Bento XVI declarou que para os cristãos o Natal é muito mais que a lembrança do nascimento de um grande personagem. O Papa aproveitou que nessa quarta-feira começara a Novena de Natal para dedicar a catequese da audiência geral, concedida na Sala Paulo VI, a explicar o sentido desta festa, na qual "inclusive os não-crentes" percebem como algo extraordinário e transcendente, algo íntimo que fala ao coração.

                             "Os valores da simplicidade, da amizade e da solidariedade, que tanto se exaltam nestas festas", afirmou o Papa, "não bastam para assimilar plenamente o valor do Natal. No Natal, portanto, não nos limitamos a comemorar o nascimento de um grande personagem; não celebramos simplesmente e em abstrato o mistério do nascimento do homem ou em geral o nascimento da vida; tampouco celebramos só o princípio de uma nova estação. Nós sabemos que se celebra o acontecimento central da história: a Encarnação do Verbo Divino para a redenção da humanidade", acrescentou.

                             Explicando o significado que em grego tem a palavra "Logos", que é a que São João utiliza no prólogo de seu Evangelho para referir-se ao Cristo, o Papa fez notar que além de traduzir-se como "o Verbo", que é a transposição corrente, "Logos" significa também "o Sentido", "a Lógica". "Portanto", explicou o Papa, "o Sentido eterno do mundo se fez tangível a nossos sentidos e à nossa inteligência: agora podemos tocá-lo e contemplá-lo, e esse sentido não é simplesmente uma idéia geral inscrita no mundo, mas é uma "Pessoa" que se interessa por cada um de nós. Sim, existe um sentido, e o sentido não é um protesto impotente contra o absurdo. O Sentido é poderoso: é "Deus Bom", que não se confunde com qualquer poder excelso e distante, ao qual nunca se poderia chegar, mas um Deus que se fez próximo de nós.

                             "Mas, por que Deus se fez um menino indefeso?" Pergunta o Papa. "Na gruta de Belém, Deus se mostra a nós como um humilde ‘infante’ para vencer nossa soberba", responde. "Talvez tivéssemos nos rendido mais facilmente frente ao poder, frente à sabedoria; mas Ele não quer nossa rendição; apela mais ao nosso coração e à nossa decisão livre de aceitar seu amor."


                             Dessa forma, com as palavras do Papa em nossas mentes, a reflexão que podemos fazer, neste dia de Natal, é: será que descobrimos um sentido para nossas vidas? Será que o Natal, para mim, já aconteceu? Será que o Logos, o Verbo Divino, já nasceu em mim? Quando foi que isso ocorreu? Será que tenho permitido esse nascimento? Será que tenho buscado esse nascimento? O nascimento do Cristo em nós varia de pessoa em pessoa, e cada um deve buscar o "Sentido" que dá propósito a sua própria existência. Apenas Deus nos dá um "Sentido", pois, como diz João em seu evangelho, Ele, o Sentido, está com Deus, e Ele, o Sentido, é o próprio Deus. O Sentido é a Luz dos homens, e quem a recebe nasce novamente, sendo chamado "filho de Deus".

                             Perguntemos a Maria Madalena onde e quando nasceu Jesus, e ela nos responderá: -- Jesus nasceu em Betânia. Foi certa vez, quando a sua voz, tão cheia de pureza e santidade, despertou em mim a sensação de uma vida nova com a qual até então jamais sonhara.

                             Perguntemos a Francisco de Assis o que ele sabe sobre o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: -- Ele nasceu no dia em que, na praça de Assis, entreguei minha bolsa, minhas roupas e até meu nome para segui-lo incondicionalmente, pois sabia que somente Ele é a fonte inesgotável de amor.

                             Perguntemos a Pedro quando deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: -- Jesus nasceu no pátio do palácio de Caifás, na noite em que o galo cantou pela terceira vez, no momento em que eu o havia negado. Foi nesse instante que minha consciência acordou para a verdadeira vida.

                             Perguntemos a Paulo de Tarso, quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: -- Jesus nasceu na Estrada de Damasco quando, envolvido por intensa luz que me deixou cego, pude ver a figura nobre e serena que me perguntava: "Saulo, Saulo porque me persegues?" E na cegueira passei a enxergar um mundo novo. Então eu lhe disse: "Senhor, o que queres que eu faça?!"

                             Perguntemos a Joana de Cusa onde e quando nasceu Jesus. E ela nos responderá: -- Jesus nasceu no dia em que, amarrada ao poste do circo em Roma, eu ouvi o povo gritar: "Negue! Negue!" E o soldado com a tocha acesa dizendo: "Este teu Cristo ensinou-lhe apenas a morrer?" Foi neste instante que, sentindo o fogo a subir pelo meu corpo, pude com toda certeza e sinceridade dizer: "Não me ensinou só isso! Jesus me ensinou também a amar você."

                             Perguntemos a Tomé onde e quando nasceu Jesus. Ele nos responderá: -- Jesus nasceu naquele dia inesquecível em que Ele me pediu para tocar as suas chagas e me foi dado testemunhar que a morte não tinha poder sobre o Filho de Deus. Só então compreendi o sentido de suas palavras: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida."

                             Perguntemos à mulher da Samaria o que ela sabe sobre o nascimento de Jesus. E ela nos responderá: -- Jesus nasceu junto à fonte de Jacó, na tarde em que me pediu de beber, dizendo: "Mulher eu posso te dar a água viva que sacia toda a sede, pois vem do amor de Deus e santifica as criaturas." Naquela tarde soube que Jesus era realmente um profeta de Deus e lhe pedi: "Senhor, dá-me desta água."

                             Perguntemos a João Batista quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: -- Jesus nasceu no instante em que, chegando ao rio Jordão, pediu-me que o batizasse. E ante a meiguice do seu olhar e a majestade da sua figura pude ouvir a mensagem do Alto: "Este é o meu Filho Amado, no qual pus a minha complacência!" Compreendi que chegara o momento de Ele crescer e eu diminuir, para a glória de Deus.

                             Perguntemos a Lázaro onde e quando nasceu Jesus? Ele nos responderá: -- Jesus nasceu em Betânia, na tarde em que visitou o meu túmulo e disse: "Lázaro, levanta!" Neste momento compreendi finalmente quem Ele era "A Ressurreição e a Vida"!

                             Perguntemos a Judas Iscariotes quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: -- Jesus nasceu no instante em que eu assistia ao seu julgamento e à sua condenação. Compreendi que Jesus estava acima de todos os tesouros terrenos. Foi naquele instante que percebi a Sua misericórdia e o Seu imenso amor pelas criaturas.

                             Perguntemos, finalmente, a Maria de Nazaré onde e quando nasceu Jesus, e ela nos responderá: -- Jesus nasceu em Belém, sob as estrelas, que eram focos de luzes guiando os pastores e suas ovelhas ao berço de palha. Foi quando O segurei em meus braços pela primeira vez que senti se cumprir a promessa de um novo tempo através daquele Menino que Deus enviara ao mundo, para ensinar aos homens a lei maior do Amor.

                             Agora pensemos um pouquinho: E para nós, quando Jesus nasceu? Pensemos mais um pouquinho... E se descobrirmos que ele não nasceu? Então, procuremos urgentemente fazer com que ele nasça um dia desses, porque quando isso acontecer, teremos finalmente entendido o sentido do Natal em nós e verdadeiramente encontrado a Luz.


Um Feliz Natal a todos! Que Deus os abençõe!

4 comentários:

Anônimo disse...

Mizi!!!
Olha o que eu achei no youtube, muito comédia...

um abraço, juquinha

http://br.youtube.com/watch?v=BtpHbrbUOOA

Anônimo disse...

Jesus nasceu para Juquinha, quando percebeu que sua família era tudo para ele. Seus irmãos, pais e avós precisam tanta um do outro que parece que existe um pouquinho de todos em cada um. O nascimento de Jesus não precisa ser realizado de ano em ano, pois pode ser feito dia a dia, e assim Jesus renasce e permanece no coração de quem busca.
Verdadeiramente, somos um, e devemos amar uns aos outros e com isso buscar corrigir as injustiças do mundo.
Amo muito você meu broder,
Juquinha

Anônimo disse...

estudio mizi é seu? japones?
rssss.. aí é feii mininuuu

http://br.youtube.com/watch?v=qGQAG3SIVdk&feature=related

mizi disse...

AH, menino Juca...

Provavelmente é outro Mizi... Não sou eu nao. Mas eh engraçado mesmo!

Abraços!